Carlos Bernardo Loureiro

Resultado de imagem para carlos bernardo loureiroCarlos Bernardo Loureiro, filho de Antônio Loureiro de Souza e Elza Cajazeira Loureiro de Souza, era figura das mais conhecidas no meio espírita, principalmente por sua dedicação à pesquisa da fenomenologia espírita. Aprofundou ainda mais os seus estudos no campo a partir de 1984, no Círculo de Pesquisas Ambroise Paré, em Salvador, cidade onde nasceu em 16 de abril de 1941.

Enriquecendo o acervo bibliográfico da pesquisa espírita, publicou, por diferentes editoras, mais de 23 obras, dentre as quais: “Das profecias à premonição”, “Dos Raps à Comunicação Instrumental”, “Espiritismo & Magnetismo – de Paracelso à Psicotrônica”, “Obsessão e Seus Mistérios”, “Perispírito – Natureza, Funções e Propriedades”, “As Mulheres Médiuns” e “Visão Espírita do Sono e dos Sonhos”. Teve artigos publicados em jornais espíritas do Brasil e do exterior.

Possuía um currículo profissional extenso. Formado em Direito pela Universidade Federal da Bahia, em 1973 participou da elaboração, em Brasília, do Código de Direito do Trabalho, sob a responsabilidade da Comissão de Justiça da Câmara dos Deputados. Exerceu por longo tempo a advocacia e ocupou o cargo de assessor jurídico da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), onde trabalhou por 32 anos. Também lecionou Ética na Escola Superior de Advocacia da OAB/BA.

Na década de 70 passou a se dedicar ao jornalismo espírita, onde fundou periódicos como: Impacto, O Samaritano, Gazeta Espírita e Dimensões. Foi articulista, também, de diversos jornais espíritas do Brasil e Exterior.

Intelectual dos mais notáveis e representativos no meio espírita, dedicou mais de 40 anos às pesquisas, ao estudo incessante e a divulgação, preocupando-se em manter a Pureza Doutrinária do Espiritismo, tendo muitas vezes travado memoráveis polêmicas com detratores da Doutrina; sempre com veracidade e argumentações claras.

Procurou combater as interpretações e traduções deturpadas das obras de Kardec, inclusive aquelas que surgiram no seio do Movimento Espírita Brasileiro, sempre enfatizando a importância de estudar também as obras complementares de acurado conteúdo científico e filosófico do Espiritismo; especialmente as de Ernesto Bozzano, Gustavo Geley, Gabriel Delanne, Alexander Aksakof, Camille Flammarion e outros eminentes pesquisadores.

Idealizou e apresentou programas como: Conversando Sobre Espiritismo (veiculado na Rádio Clube AM de maio de 1989 a janeiro de 1993) e Encontro com a Cultura Espírita (sendo este programa a sua última tribuna), exibido aos sábados pela TV Aratu (canal 4), alcançando sempre altos índices de audiência.

Dedicou 40 anos às pesquisas sobre a Obsessão e os trâmites do tratamento moral da desobsessão, tendo buscado ensinamentos com grandes espíritas como Alfredo Miguel, Aurelino Motta de Carvalho, Abel Mendonça e Josué Arapiraca, desenvolvendo a partir daí um método diferenciado no tratamento.

Incansável pesquisador da fenomenologia espírita, aprofundou os seus estudos de campo a partir de 1986, no Círculo de Pesquisas Ambroise Paré (Espírito que coordenou os seus trabalhos de pesquisa), quando conseguiu obter a materialização plena de espíritos e tantos outros fenômenos. Trabalhou com vários médiuns, entre os quais José Alberto Medrado, com o qual obteve a Materialização do Espírito “Noiva”, na década de 80.

Era divorciado de Lúcia Maria Farias Loureiro de Souza, com quem teve dois filhos – Sandra Maria e Marcelo Adriano Farias Loureiro de Souza -, e ao desencarnar tinha como companheira Lívia Maria Borges de Almeida. Carlos Bernardo Loureiro desencarnou no dia 10 de agosto de 2006, vítima de hepatite. O sepultamento do seu corpo ocorreu no dia 11, no Cemitério Jardim da Saudade, bairro de Brotas, em Salvador.

Fonte: http://www.telma.org.br/carlos-bernardo-loureiro.html